As coisas mudam, e quem não muda fica p’ra trás. Preconceitos ou conceitos velhos hão de ser exterminados para quem não quer perder o bonde da evolução e da modernidade. Sinal dos tempos.
As próprias leis da justiça dos homens mudam com os costumes. Lei é costume. E o que na prática já se mostra corriqueiro termina influenciando o mundo inteiro.
Quem já não gostou de sentar num poleiro de circo, comendo pipoca, para ver girafas dançando, elefantes chutando bolas, leões e tigres atravessando rodas de fogo? Hoje, porém, não se concebe mais a existência de circos com animais. A consciência ecológica, criada e disseminada mundialmente, não mais permite esse tipo cruel de deleite. Concluiu-se que arrancar animais de seu habitat para confiná-los em jaulas, fazê-los aprender macaquices para nos divertir à custa de muitas chicotadas, não se coaduna com o espírito da ecologia moderna.
Mesma alusão aos zoológicos. Inobstante sua função educativa, confinar animais selvagens – criados para serem livres na selva – em pequenos espaços cercados; araras e gaviões – feitos para voar pela imensidão celeste – em gaiolas, é igualmente atroz. Pode-se até pensar que aqueles zoológicos abertos, tipo “Jurassic Park”, seriam uma alternativa melhor. Mas, infelizmente, as últimas pesquisas concluíram que o badalado “turismo ecológico” também está perturbando e prejudicando o ambiente dos animais.
Vaquejada e rodeio, nem pensar. Esses crimes, previstos em leis federais e na própria Constituição, ainda são cometidos impunemente, não se sabe por que (?). A briga de galo, que é mais fiscalizada, já não é tão freqüente, apesar de se valer da clandestinidade na periferia e no interior.
Por outro lado, separar lixo reciclável, não sujar a rua e a praia, economizar papel lembrando que são feitos de árvores, denunciar poda ilegal, já são costumes que começam a ser saudavelmente adotados no dia-a-dia.
Temos esperanças que o sinal dos tempos vai continuar educando a humanidade. Não eram proibidas de votar as mulheres? Não eram os filmes clássicos um turbilhão de fumaça de cigarros? Hoje nas novelas é politicamente incorreto exibir fumantes, e politicamente correto mostrar o amor entre pessoas do mesmo sexo. É o sinal dos tempos…

Germano Romero  

Anúncios