You are currently browsing the monthly archive for março 2007.

“Tenho a convicção de que podemos atingir em poucos anos a meta de 100% da madeira trabalhada no Acre ser de origem legal”. Com essas palavras, o diretor da Laminados Triunfo resumiu o novo momento vivido pelo setor madeireiro no Estado, marcado pela crescente disposição em adotar padrões sustentáveis em todos os elos da cadeia produtiva.

A Triunfo é uma das cinco empresas que passaram a fazer parte do SIM (Sistema de Implementação Modular). Em março, as madeireiras acreanas Garça Branca, Ouro Verde, Acre Brasil Verde, Consórcio Xapuri e Triunfo assinaram em Rio Branco os termos de compromisso para participar do SIM. Elas se somam a outras cinco empresas e uma comunidade, distribuídas por quatro estados, que já aderiram ao Programa.

O SIM, coordenado pelo WWF-Brasil, capacita empresas e comunidades que trabalham com madeira a obter a certificação FSC (Conselho de Manejo Florestal) e atingir nichos de mercado que se preocupam com a origem ambiental e social do produto. Os consultores do SIM visitam periodicamente os associados e identificam carências que precisam ser trabalhadas para a obtenção do selo FSC. Por meio de atividades como treinamentos e capacitações, os participantes aprendem passo-a-passo como manejar de forma adequada as florestas e trabalhar com fornecedores que realizam o manejo sustentável.

O SIM também coloca as empresas participantes em contato com a Rede Global de Florestas e Comércio (GFTN), que congrega, em todo o mundo, cerca de 400 organizações comprometidas com o manejo e consumo responsável de produtos florestais. Por meio da GFTN, os participantes do SIM têm a oportunidade de abrir mercados internacionais para seus produtos. Segundo o WWF-Brasil, a certificação representa um diferencial de mercado para as empresas, já que os consumidores corporativos e os governos, especialmente da União Européia, utilizam cada vez mais os critérios de sustentabilidade para definir políticas de compra.

SIM
O Sistema de Implementação e Verificação Modular (SIM) foi criado em 2005 pelo WWF-Brasil para facilitar a preparação de empresas interessadas em obter a certificação FSC a curto e médio prazo. Atualmente fazem parte do SIM 10 empresas, das quais oito estão no Acre, uma em Rondônia e uma no Mato Grosso. A comunidade de Mamirauá, no Amazonas, também é participante. A União Mundial pela Natureza (UICN) e o Banco Real/ABN-Amro são parceiros do WWF-Brasil no SIM.

FSC – Conselho de Manejo Florestal
A certificação FSC é um processo voluntário em que é realizada uma avaliação de um empreendimento florestal, por uma organização independente (denominada certificadora), que avalia o cumprimento de questões ambientais, econômicas e sociais que fazem parte dos Princípios e Critérios do FSC.
Os princípios do FSC são baseados em responsabilidades e direitos de posse e uso da terra, direitos dos povos indígenas, relações comunitárias e direitos dos trabalhadores, uso eficiente dos múltiplos produtos e serviços da floresta, impactos ambientais e planos de manejo, entre outros.

GFTN
A Rede Global de Florestas e Comércio do WWF (GFTN) foi fundada em 1991 no Reino Unido, por um grupo de empresários britânicos se comprometeu a comprar produtos derivados da madeira apenas de florestas gerenciadas de maneira sustentável. Atualmente cerca de 400 empresas em todo o mundo fazem parte do GFTN, que já responde por 11% de toda a madeira comercializada globalmente.

Fonte: WWF-Brasil

Anúncios

Que tal aproveitar o dia mundial da água para conhecer mais sobre o assunto, participar de alguma ação ou iniciar um projeto para a conservação dos rios, lagos, córregos e nascentes da sua região. Acreditando que cada um de nós pode fazer a diferença e ajudar a conservação da natureza, o WWF-Brasil preparou uma série de materiais para que você possa dar sua parcela de ajuda.

O primeiro instrumento oferecido é a seção especial do Cadernos de Educação Ambiental Água para Vida, Água para Todos. A partir de hoje, 22 de março, data em que o mundo inteiro celebra a importância da água, você está convidado a se informar sobre como você pode montar um projeto de conservação dos recursos hídricos. A idéia é que a seção inspire pessoas como você a desenvolver processos educativos, campanhas, grupos de ação e outras iniciativas pela melhoria da qualidade de vida no seu pedaço.

 Saiba mais sobre a situação da água no Brasil e no mundo:

 Fonte: WWF-Brasil 

Uma manifestação liderada pela SOS Mata Atlântica e apoiada pelo WWF-Brasil mudou, nesta manhã, o cenário da Esplanada dos Ministérios, em Brasília.  O evento, realizado no dia mundial da água,  comemorou, em frente ao Congresso Nacional, os dez anos da Lei das Águas, que regula a gestão dos recursos hídricos do Brasil. A legislação brasileira é uma das mais avançadas do mundo, mas ainda é necessário que se garanta a implementação desses dispositivos legais.

Durante a manifestação, o Balão Panda, embaixador da Campanha Água para Vida, Água para Todos, do WWF-Brasil, realizou vários vôos cativos (o balão permanece amarrado ao solo) com crianças e adultos presentes. Além do balão, a SOS Mata Atlântica estendeu um bandeira em comemoração aos os dez anos da Lei das Águas, que regula a gestão dos recursos hídricos.

Fonte: WWF-Brasil

A Frente Parlamentar Ambientalista, a SOS Mata Atlântica e o Ecocamara preparam a cerimônia do Dia Mundial da Água. Amanhã, dia 22, um balão de ar quente será inflado na frente do Congresso Nacional com uma faixa lembrando os 10 anos da Lei das Águas, considerado o principal marco na luta para a implantação da política de recursos hídricos no país. Durante o evento, representantes de escolas do Distrito Federal, num ato simbólico, vão derramar água representando os principais rios brasileiros. Em seguida, uma grande bandeira do Brasil da SOS Mata Atlântica, com 36 metros de comprimento, será conduzida pelos participantes ao longo do gramado do Congresso.

O coordenador da Frente, deputado Sarney Filho, reforçou o compromisso do movimento, que conta com a adesão de 280 parlamentares e representantes dos principais movimentos da sociedade civil organizada, de propor e aprovar iniciativas que possam garantir a preservação e a recuperação dos recursos hídricos. O diretor do SOS Mata Atlântica, Mario Mantovani, destacou  a importância da ação conjunta da Frente com os movimentos sócio-ambientais no país para impedir qualquer retrocesso nos avanços obtidos. O evento contará com a presença de crianças, de autoridades do governo local e federal, da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Legislativa do DF, da Frente Parlamentar Ambientalista, recentemente instalada e coordenada pelo Deputado José Sarney Filho com a adesão de 270 parlamentares, da SOS Mata Atlântica e WWF Brasil.

Fonte: SOS Mata Atlântica

Trabalhar com conservação na Amazônia brasileira sempre foi uma missão difícil. As graves questões sociais e econômicas do país consomem a maior parte dos orçamentos públicos e uma conseqüência desse quadro é a crônica falta de recursos para políticas ambientais.

No Acre esse problema também existe. O Estado tem um Produto Interno Bruto (PIB) de aproximadamente R$ 3,2 bilhões, o segundo mais baixo entre as 27 unidades federativas do país.A falta de dinheiro acaba afetando as ações voltadas para a conservação do meio ambiente. O Pelotão Florestal da Polícia Militar do Acre, criado há oito anos, tem um efetivo de apenas 20 homens, responsáveis por patrulhar um território de mais de 150 mil quilômetros quadrados, dos quais quase 90% são cobertos por florestas.

Além de ter um efetivo reduzido, o Pelotão Florestal executa tarefas diversificadas. O grupo combate queimadas, retirada ilegal de madeira, pesca e caça ilegais, mas também auxilia famílias vítimas de inundações e deslizamentos e até mesmo responde a denúncias de violações da Lei do Silêncio em áreas urbanas, o que torna impossível atender a todas as demandas ambientais que aparecem.

Além de ter um imenso território florestal, o Acre é um estado que faz fronteira com a Bolívia e o Peru, fator que dificulta ainda mais o trabalho do Pelotão Florestal, já que fronteiras internacionais sempre demandam uma maior atenção por parte dos agentes da lei. Os policiais ambientais acreanos também enfrentam dificuldades de acesso a muitas áreas. Durante a estação seca, é possível chegar a muitos locais com veículos 4×4. Quando o período chuvoso começa, os barcos passam a ser o único meio de transporte para a maioria das unidades de conservação.

Além de enfrentarem dificuldades de acesso a muitas áreas e diversas dificuldades naturais da profissão, os agentes que fiscalizam o cumprimento da legislação ambiental na Amazônia também correm outros riscos. O Pelotão Florestal da Polícia Militar do Acre, por exemplo, freqüentemente confronta interesses de grupos econômicos poderosos, especialmente madeireiros ilegais e criadores de gado, que às vezes desmatam florestas para aumentar os lucros.

A qualidade de vida dos policiais florestais na Amazônia também é comprometida, já que, durante as missões na selva, chegam a passar duas semanas sem ver esposa e filhos. Reconhecidamente, para lidar com conservação na Amazônia é preciso ser, antes de tudo, apaixonado pela causa.

Fonte: WWF-Brasil  

Rerum Natura Creatix

[Latim]: A Natureza é a
Criadora das Coisas

Arquivos

Calendário

março 2007
S T Q Q S S D
« fev   abr »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Freqüência

  • 151.570 eco(cons)cientes

Constituição Brasileira: Capítulo VI – Artigo 225

Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se
ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

Entre com seu email para assinar este blog e receber notificações de novos artigos postados.

Junte-se a 10 outros seguidores

nossas campanhas

Adote com Amor!

Estão Tirando o Nosso Verde

A Cor da Cidade

Poluição Sonora é Crime!

João Pessoa Sem barulho

Anúncios