A adoção de critérios ambientais para garantir a produção ambientalmente correta de biocombustíveis será defendida pelo WWF-Brasil durante o Seminário “Sustentabilidade da liderança brasileira em etanol”, que será realizado amanhã, no Rio de Janeiro. O anúncio do governo de estabelecer zoneamento para a cultura da cana-de-açúcar, com a restrição de áreas para plantio nos biomas Amazônia e Pantanal deve levar a questão ambiental para um patamar mais importante nas discussões da produção de cana e biocombustível no país.
Para o WWF-Brasil, entre os aspectos que devem ser garantidos na produção da cana-de-açúcar estão o cumprimento efetivo da preservação das Reservas Legais e Áreas de Proteção Permanente (APPs), assim como a preservação das nascentes e matas ciliares, uso controlado de agrotóxicos, o controle da erosão e do uso dos recursos hídricos para irrigação. Quanto à produção dos biocombustíveis, quatro pontos devem ser levados em consideração: onde as usinas serão instaladas, qual será o efeito da expansão do plantio sobre a mudança do uso do solo, qual será o impacto na produção e abastecimento de alimentos e como será o uso de recursos hídricos e o impacto social.
O WWF-Brasil acredita que a implementação de melhores práticas produtivas e gerenciais e de sistemas de certificação que garantam o atendimento a critérios ambientais e sociais nos empreendimentos agropecuários trará impactos positivos na conservação do meio ambiente e do uso mais racional dos recursos naturais. Esta mudança de comportamento do setor produtivo, além de beneficiar o meio ambiente, poderá ser o diferencial dos produtores que desejarem acessar mercados mais exigentes.

Fonte: WWF-Brasil

Anúncios