vista-aerea-da-central-nuclear-japao-500.jpg

Um grupo de renomados cientistas japoneses divulgou comunicado recomendando o fechamento definitivo da usina nuclear de Kashiwazaki, a maior do mundo, que foi danificada por um forte terremoto no mês passado. O comunicado foi divulgado ontem pela agência de notícias Bloomberg.
O terremoto, que atingiu 6.6 na escala Richter, causou 11 mortes e um incêndio nas dependências da usina, provocando vazamento de material radioativo. O governo japonês criticou a companhia Tokyo Electric Power, responsável pela administração da usina, pela demora em divulgar informações precisas sobre os vazamentos, o que aumentou a ansiedade da população. A Tokyo Electric Power admitiu publicamente que as instalações da usina Kashiwazaki não foram projetadas para agüentar tremores de terra da intensidade dos ocorridos em julho.
O grupo de cientistas, liderado por dois professores da Universidade de Tókio, afirmou que “é impossível de provar empiricamente que todo o estrago provocado na usina pelo terremoto já tenha sido consertado”. O grupo disse que rachaduras não visíveis e danos na estrutura molecular de componentes da usina podem aumentar as chances de um acidente, além de torná-la ainda mais vulnerável a terremotos menos intensos do que o do mês passado.

Fonte: Greenpeace 

Anúncios