cidade.jpg

O prefeito de Sorocaba – SP, Vitor Lippi, assinou nesta quarta-feira, em solenidade na prefeitura, o decreto que estabelece critérios para a compra de madeira pelo município, tornando-o um dos mais avançados entre os participantes do Programa Cidade Amiga da Amazônia, do Greenpeace.
A partir de agora, a madeira comprada pela prefeitura de Sorocaba ou utilizada em obras públicas e serviços deve ter comprovação de origem legal. O uso de produtos madeireiros pelo poder público também passa a ocorrer de forma mais racional e sem desperdício.
Segundo o governo federal, atualmente, 63% da madeira proveniente da Amazônia é extraída ilegalmente. Para o Greenpeace, essa parcela pode chegar a 80% e o poder público é o maior cliente desse mercado. Para cada árvore extraída de forma predatória, sem manejo adequado, em média, outras 27 árvores são danificadas.
O Programa Cidade Amiga da Amazônia foi criado pelo Greenpeace em 2005 e conta com 37 membros: o governo do estado de São Paulo e 24 cidades paulistas, duas pernambucanas e cinco gaúchas, além de Fortaleza, Salvador, Manaus, Carmo do Cajuru (MG) e Apucarana (PR).

Fonte: Greenpeace 

Anúncios