bush-protesto500-1.jpg

O diretor-executivo do Greenpeace EUA, John Passacantando, e cerca de 50 outros ativistas foram presos nesta quinta-feira durante protesto realizado em frente ao prédio do Departamento de Estado americano contra o encontro promovido pelo presidente Bush com os Grandes Emissores – países que mais contribuem para o aquecimento global. A mensagem da manifestação foi de que os Estados Unidos estão tomando o caminho errado para discutir o tema.
As quatro organizações ambientais que promoveram o protesto – Greenpeace, Oil Change International, Chesapeake Climate Action Network e o Conselho de Emergência Climática dos EUA – estão convocando os países que compareceram ao encontro para tomarem medidas concretas contra o aquecimento global e resistirem às intenções do presidente Bush de sabotar o Protocolo de Kyoto.
Todos os países em desenvolvimento que compareceram ao encontro – incluindo China e Índia – assinaram o Protocolo de Kyoto e trabalham ativamente pelo seu sucesso. A China também estabeleceu metas próprias de produção de energia renovável (15% até 2020), além de metas de eficiência energética. Enquanto isso, Bush ameaçou vetar o projeto de lei que tramita no Congresso americano que dá um gás nas energias renováveis nos Estados Unidos.
O Greenpeace considera as negociações sobre o Protocolo de Kyoto que acontecerão em dezembro na ilha de Bali, na Indonésia, como as únicas legítimas em relação à discussão sobre o aquecimento global. Se obtiver sucesso, o encontro poderá estabelecer um calendário de dois anos para a negociação de uma segunda fase do Protocolo, que teria início em 2013.

Fonte: Greenpeace

Anúncios