area-ocupada-por-grileiros-nopara500-1.jpg

O pacto proposto por diversas ONGs, entre as quais o Greenpeace, para zerar o desmatamento na Amazônia em sete anos ganhou um reforço de peso nesta sexta-feira. O governador de São Paulo, José Serra, e o prefeito da capital, Gilberto Kassab, aderiram à proposta em ato político realizado no Parque Villa Lobos pela governança da Amazônia. O anúncio foi feito no caminhão preparado pelo Greenpeace para a exposição itinerante “Aquecimento Global: Apague Essa Idéia”.
As intenções do governo de São Paulo não ficam apenas nas palavras. A Operação Primavera, realizada nas estradas que cortam o Estado, apreendeu mais de 300 toneladas de madeira nativa que saiu ilegalmente da Amazônia. Na quinta-feira, apreendeu mais 200 toneladas de madeira ilegal, aplicando R$ 300 mil em multas. A operação vem sendo realizada também em outras cidades do Estado.
“Estamos cercando a entrada de madeira ilegal em São Paulo como contribuição à conservação da Amazônia”, afirmou Xico Graziano, secretário de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, que foi o primeiro estado brasileiro a aderir, em 2006, ao programa Cidade Amiga da Amazônia, do Greenpeace, que visa banir madeira ilegal e predatória do consumo público. Para mostrar o compromisso do Estado com a proteção da Amazônia, José Serra divulgou medidas recentes adotadas pelo seu governo para coibir a comercialização de madeira ilegal no território estadual, o maior consumidor de madeira da região amazônica.
O Brasil é o quarto maior poluidor do clima mundial graças às queimadas e ao desmatamento da Amazônia.

Fonte: Greenpeace

Anúncios