A Monsanto volta a ser alvo da ira de agricultores mato-grossenses. Depois de uma briga com a Associação de Produtores de Soja do estado (Aprosoja) por sobretaxa no preço de sementes, a disputa agora é pelo direito – dificultado pela multinacional – de plantar soja convencional.

A Associação dos Produtores de Semente de Mato Grosso (Aprosmat) acusa a Monsanto de reduzir a oferta da variedade convencional da soja, oferecendo para a comercialização apenas a sua versão transgênica, a Monsoy. A proporção, que antes era de metade da venda de uma e metade da outra, está hoje em 15% para convencionais e 85% para transgênicas.

É o que afirma Pierre Marie Jean Patriat, presidente da Aprosmat. E vai além: em entrevista ao jornal Valor Econômico, afirmou perceberem que “a estratégia da Monsanto é trabalhar exclusivamente com transgênico”.

Fonte: Greenpeace

Anúncios