Com 4,5 milhões de quilômetros quadrados em território marinho, o Brasil protege mal seus oceanos. As unidades de conservação voltadas para nossos mares não abrangem mais que 1,5% de toda essa área. Recentemente, duas novas unidades se somaram a esse número: a Área de Proteção Ambiental da Costa das Algas, com 114 mil hectares, e o Refúgio de Vida Silvestre de Santa Cruz, com 17 mil hectares. Ambas, no estado do Espírito Santo.

O Ministério do Meio Ambiente admite que seu portfólio marinho não é lá essas coisas. E por isso, já anunciou que pretende criar uma política nacional de conservação dos oceanos. Nos cálculos do MMA, o ideal é que 10% da área marinha brasileira estivessem oficialmente protegidas. Passada a confusa vida política em ano eleitoral, vamos ficar em cima para que a promessa seja cumprida.

Fonte: Greenpeace

Anúncios