No dia em que – finalmente – o interminável vazamento de óleo no Golfo do México parece ter sido contido, eis que o buraco reabre em outro lugar. Dois dutos explodiram em Dailan, na província de Liaoning, na China, liberando 1.500 toneladas de óleo, suficiente para submergir funcionários que tentavam conter a explosão. Um ainda está desaparecido.

O Greenpeace pede pela transição da matriz energética petrolífera – suja e perigosa, para as renováveis, limpas e seguras, além de moratória de exploração em alto mar, onde os riscos ainda não são calculáveis.

Fonte: Greenpeace

Anúncios